Tristeza

Cultura Poesia 12 Junho / 2017 Segunda-feira por Cassiano Santos Cabral

Poesia é confessionário
Calvário de perdas
E das fendas da alma
A vida nos dá a penitência
Sem choro e nem clemência
Feridos por dentro
Pelas mãos cruéis do tempo
Pelo triunfo da carniça
Neste mundo de cobiça
E da imoralidade pública
O verso é a nossa voz
Clamando nossos vetos
E ao som de mil protestos

Poesia que transgride
Neste mundo que insiste
Nas falsas homenagens
Grandes reportagens
Medalhas e troféus
Condecoram os réus
E os que promovem a injustiça
Nivelando-os por alto
Com saltos de superioridade
Premiando-os com sentenças
Coroando os amigos
O joio como se fosse trigo

Poesia que percorre a pé
Estes tempos sem fé.

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes