Quinhentos Reais

Em janeiro deste ano a previsão do PIB para 2019 era de 2,53%, segundo divulgado pelo Banco Central no Boletim Focus. Nesta semana depois 20 semanas consecutivas de queda a estimativa para o ano passou de 0,81% para 0,82%.

Para contrapor esta acelerada queda na economia foi lançado na mídia que o governo liberaria 30% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do PIS/PASEP.

O presidente que declarou muitas vezes que não entende economia, foi um dos arautos desta boa nova.

Assim mantendo o seu estilo boquirroto, de afogadilho alimentou a mídia, tanto a que lhe é favorável como a grande maioria, que não é.
Só esqueceu um detalhe, nada havia sido combinado com a Caixa Econômica Federal que é a gestora do FGTS. Não havia dinheiro para tanto.

O dinheiro do fundo é aplicado no programa Minha Casa Minha Vida, destinado a construção de moradias para pessoas de baixa renda. Também financia Estados e Municípios em obras de infra estrutura, como água e saneamento básico. Os contratos assinados tem cronogramas de liberação do dinheiro, não podem ser alterados de uma hora para outra e ter outro destino.

O dinheiro está curto, tanto que nesta semana foi anunciado mais um corte no orçamento deste ano em mais R$ 1,4 bilhão. Assim como há queda na arrecadação da União, há também no FGTS.

Explico, existe atualmente 13 milhões de desempregados. As empresas recolhem ao FGTS sobre a sua folha salarial, individualizada, dos seus empregados. Apenas esses é que são beneficiados. Não havendo contratações com carteira assinada, não há recolhimento pelas empresas e o dinheiro não ingressa no fundo e nas contas.

Simples assim.

Tanto que foi necessário que o presidente da MRV Engenharia, a maior construtora do país , Rubens Menin e seu sócio Ricardo Valadares, cuja a empresa é líder nas operações do programa Minha Casa Minha Vida, se encontrarem com o presidente para explicar que haveria de se ter cuidado na liberação dos recursos do FGTS.

Os dois sócios educadamente relataram o encontro, " Cumprimentamos o presidente formalmente. Ele chamou os técnicos da Fazenda e nós conversamos com eles. O presidente da República não trata desse tipo de coisa”. Para bom entendedor, o presidente não entende de assuntos econômicos.

Depois de tanto estardalhaço, coube ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, confirmar na manhã desta quarta-feira, 24, a liberação do saque de até R$ 500 das contas ativas e inativas do FGTS.

Tendo uma previsão que serão injetados na economia até 42 bilhões de reais. A previsão é que a medida injete cerca de R$ 30 bilhões na economia brasileira neste ano e mais R$ 12 bilhões no próximo. Com os recursos do PIS/Pasep, o total chegará a R$ 42 bilhões, até março de 2020. Acredito que a maior parte será para o ano que vem.

Puseram água no chope da turma ansiosa para colocar uma grana no bolso.

Os planos para o uso do valor a ser liberado se desmancharam como nuvens no céu.

Todo o estardalhaço por quinhentos reais me fez lembrar o personagem Gardelon que em seu quadro humorístico, após a proposta que lhe era feita, adaptando a moeda, terminava dizendo "Todo esto por quinientos reales. Muy amigo."

Publicações recentes