Nossa Senhora Aparecida é tema do Festival Internacional de Folclore de Nova Prata

Cultura Notícias 15 Setembro / 2017 Sexta-feira por Gramadosite

Ingressos estão à venda na Loja Paludo e Centro de Informações Turísticas da cidade

Há 300 anos, em um dia comum, três pescadores ergueram suas mãos e orações à Virgem Maria para pedir que as águas escuras do Rio Paraíba fossem generosas com o trabalho. Ao lançarem suas redes ao rio, não encontraram peixes, mas sim uma pequena escultura, retratando o corpo da Mãe de Deus. As redes voltaram ao rio e trouxeram novamente um objeto: a cabeça que completava a pequena imagem de Nossa Senhora da Conceição, “Aparecida” dentre as águas turvas.

Nova Prata, cidade que abriga um dos santuários de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, celebra os 300 anos do milagre do Rio Paraíba em 2017 e o 13° Festival Internacional de Folclore ilumina seus palcos em homenagem à Santa Padroeira, com o tema “300 anos de bênçãos.”
“Queremos paz, união e proteção para o Brasil e o mundo, para que sempre naveguemos em segurança, mesmo em meio às águas turbulentas. Tenho certeza que estaremos muito bem amparados”, frisa o vice-presidente do Bailado Gaúcho, Gustavo Prates.


Grupos participantes
O Festival Internacional de Folclore de Nova Prata irá reunir conceituadas e renomadas companhias de danças do mundo em cinco dias de evento. Grupos da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Ilha de Páscoa, México, Panamá, Turquia e Uruguai se encontram em um único palco que irá traduzir os valores, tradições e cultura de cada povo.


Argentina
Criada em 2005, a Companhia de Danças Argentina tem vasta trajetória no resgate, preservação e representação artística das danças nacionais. Composto por 16 bailarinos e com direção de Maria Del Carmén Tormo, o grupo realiza inúmeras apresentações nacionais e internacionais, representando o povo de Ituzaingó, província de Buenos Aires, em importantes festas e festivais.


Bolívia
O Ballet da Bolívia traz em seu repertório danças do folclore local como tobas, caporales, tonada tinku, tundiqui, chacareira, quadro chapaco e cocochabambino, entre outras. Fundado na cidade de La Paz, sob a direção de Jimmy Calla Montoya, o grupo representa e divulga as raízes culturais do país.


Brasil
O Brasil será representado por dez grupos de Nova Prata: Bailado Gaúcho, Bailadinho, Abadá, APAE, Associação Comunitária de Deficientes (ASCODEF), CTG Querência do Prata, CTG Retorno a querência, Grupo Afro, Grupo Cala e Grupo Kalina.

O Bailado Gaúcho, idealizador e realizador do Festival, completa 25 anos no dia 20 de setembro, abertura do evento. Seu principal objetivo é interpretar e divulgar o folclore brasileiro em seus mais variados aspectos e nuances, traduzindo a multiplicidade cultural de um país formado por diferentes etnias, ritmo e cores. O grupo teve destacadas participações em eventos e Festivais Internacionais de Folclore no Brasil, Argentina, Paraguai, Itália, Chile, México, Uruguai e Rússia (durante as comemorações dos 850 anos de Moscou).


Chile
“Céu que imite trovões”. Este é o significado do nome do Ballet Folclórico de Talcahuano, grupo que representa o Chile. Além de divulgar as danças e tradições locais, o grupo também aborda elementos de outros países em suas apresentações. A equipe foi fundada em junho de 2013, em Talcahuano – Estado de Concepción, e conta com a direção e coreografia de Katherine Mendoza.


Colômbia
A Agrupación Folclórica Son Bareke nasceu em Ibagué, na Colômbia, com a finalidade de difundir e projetar o folclore colombiano por meio da dança. Em seu repertório, danças do Caribe (cumbia, mapale, carnaval de Barranquilha), região andina (cortadeña, pasillo, estampa decembrina) e pacífica (contradança, mazurca, currulao). A direção é de Carlos Humberto Vásquez Lozano.


Equador
O Ayawayra Ballet Folklórico irá apresentar dança e ritmos de distintas regiões do Equador no Festival de Folclore de Nova Prata. Desde 2013, o grupo propaga a manutenção e valorização da cultura local, em uma festa viva e cheia de alegorias. O grupo, da Universidade Politécnica Salesiana, conta com direção de Arturo Campoverde Menoscal.


Ilha de Páscoa
O Tumu Henua nasceu em 1989, na Ilha de Páscoa, com o objetivo de difundir a cultura por meio do canto e da dança. Durante esses 28 anos, percorreu diversos países, como França, Alemanha, Polônia, Bélgica, Holanda, Suíça, Itália, Espanha, Taiwan, Peru, Brasil e Argentina. Entre 2016 e 2017, o grupo foi convidado pela terceira vez para o Festival de Aborígenes (Taiwan), para o Festival de Passo Fundo (Brasil), Festival “Unindo Corações” em Lima (Peru), e novamente estará no Festival de Nova Prata. A direção do Tumu Henua é de Don Miguel Muñoz.


México
O Ballet Folklórico Yolihuani surgiu em 2011 e significa “Fonte de vida”. Composto por jovens de três cidades da região dos Tuxtla, o objetivo do Ballet é resgatar, interpretar e difundir as danças e bailes do folclore do México. Entre suas características destacam a juventude de seus integrantes, compromisso e responsabilidade. A direção artística é de José de Jesus Rivera Rodríguez.


Panamá
Composto por dançarinos e músicos das diversas expressões típicas do Panamá, o grupo La Agrupación Panamá Folklore entrou em cena em 2008, com o comprometimento de compartilhar e promover a cultura panamenha por diferentes regiões do mundo. Engajados na ideia de um intercâmbio cultural com organizações e festivais do segmento, o La Agrupación já participou de eventos no México, Espanha, Itália, Chile, Peru, Bulgária, Turquia, Coreia do Sul, Eslovênia, França, República Tcheca e Rússia. A diretora do grupo, Lisbeth Batista, começou sua carreira aos três anos de idade como dançarina, representando o país em eventos nacionais e internacionais.


Turquia
Com 274 integrantes, os representantes da Turquia prometem realizar uma linda apresentação. Com uma abordagem diferenciada, com enfoque na educação social, cultural e artística de crianças e jovens, o grupo mantém o “Crianças do Norte” – associação de danças folclóricas, desde 2008. O Ankara Cansu tem como base o voluntariado, utilizando as danças folclóricas e atividades musicais para desenvolver um espírito de equipe e disciplina, reforçando a importância da responsabilidade pessoal e coletiva.


Uruguai
O Ballet Folclórico Departamental, criado em 1995, representa as tradições e cultura do Uruguai. No repertório, danças da velha pátria, folclóricas de projeção, danças de salão de Montevideo Colonial, malambo sureño e norteño, malambo fantasia (com bombos e boleadeiras). A direção do espetáculo é de Marcelo Chapital.


Programe-se
13° Festival Internacional de Folclore de Nova Prata
Data: de 20 a 24 de setembro
Horários: às 19h30min, de quarta-feira a sábado, e às 18h30min, no domingo
Ingressos: Vendas na Loja Paludo e Centro de Informações Turísticas de Nova Prata
R$ 7 arquibancada e R$ 10 cadeiras (quarta e quinta-feira)
R$ 10 arquibancada e R$ 15 cadeiras (sexta-feira a domingo)
Local: Ginásio Alcides Tarasconi, no bairro Santa Cruz, em Nova Prata

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes