Entrelivros

Lançamento

"Eugênio Onêguin (Romance em Versos) – Aleksander Púchkin – Ed. Ateliê -224 págs.

Clássico russo absoluto, Púchkin observa com lirismo e mordacidade a Rússia de seu tempo. A obra acompanha as errâncias de Eugênio, rapaz aristocrático de certa instrução, mas plenamente entediado da agitada vida mundana de São Petersburgo. Púchkin nasceu em Moscou em 1799. É o maior poeta russo romântico, considerado por muitos como o fundador da moderna literatura russa. Morreu em 1837, ferido à bala em duelo contra um suposto amante de sua esposa, segundo boatos da época.


Dois poetas italianos

Salvatore Quasímodo (1901-1968), prêmio Nobel de Literatura de 1959.

"Cada um está só no coração da Terra traspassado por um raio de sol: mas subitamente anoitece". "A vida não é este bater, terrível, fundo no coração, não é compaixão, não é senão jogo sangrento onde a morte se enflora".

Eugênio Montale (1896-1981), prêmio Nobel de Literatura de 1975.

"Um dia não muito longe assistiremos à colisão dos planetas e o céu diamantado acabará submerso em escombros. Então colheremos flores rutilantes e estrelas de neon. Olha, eis o sinal. Um fogo acende-se no céu, chocam-se os astros e no terrível estampido onde acabou o homem¿. "É difícil viver sem fé alguma, cada dia a notícia de um massacre. E nas colisões cotidianas, descobrimos o sombrio sinal do destino. Basta um sopro neste mundo em que vivemos para que ele acabe, Ficará talvez um grito, o da Terra que não quer perecer".


Um poeta latino

Décimo Junio Juvenal (60 d.C. – 150 d,C,). Autor de Sátiras sobre a vida e os costumes na Roma antiga.

" A honestidade é louvada por todos, mas morre de frio. Quem pode suportar uma cidade assim tão perversa¿. Não posso conter o fel da sátira vendo esta cidade criminosa. Que coração tão duro guardaria silêncio¿. Desde que haja dinheiro, as infâmias pouco importam. Para repreender os costumes do povo o riso é a melhor arma."


Comentário
O uso correto dos livros.
"Não diga apenas que você leu muitos livros. Mostre que, por meio deles, você aprendeu a pensar melhor, a ser uma pessoa mais perspicaz e ponderada. Os livros são para a mente o que os pesos da ginástica são para o corpo. Os livros são muito úteis, mas seria um grave erro supor que alguém progrediu apenas por conhecer o seu conteúdo." (Epicteto, 55 d.C. - 155 d.C., livro "A Arte de Viver", ensinou em Roma até o ano 94 d.C. quando o imperador Domiciano baniu todos os filósofos da cidade. No exílio, ele estabeleceu sua escola filosófica, tendo entre seus alunos o futuro imperador Marco Aurélio, autor de "Meditações").