Dores

Cultura Poesia 14 Janeiro / 2017 Sábado por Cassiano Santos Cabral

Em mim...
Cabem as dores
Os silêncios e os protestos
Como notas de um piano
A espera do maestro
Tantos sonhos pautados da alma
Digladiando passado e futuro
Num presente composto
Dedilhado por emoções
Ao sul dos esconderijos.

Em mim...
Habitam fantasmas
Em noites sem sono
Percorrendo distâncias
No sótão das memórias
Que não cabem em mim
Livros e gavetas abertos
Em noites de lua cheia
Reinterpretando o ontem
Desafiando a finalização do ponto
E a própria equação do tempo.

Em mim...
Cabem interrogações
Por todos os porquês sem respostas
Por todos os voos tolhidos
Sem vinho e nem mel
Restam asas envelhecidas
A imensidão do azul
E o desafio do amanhã.

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes