Já ouviu falar em laserterapia na odontologia integrativa?

Saiba os benefícios dessa prática em diversos tipos de tratamentos

Considerada uma das principais práticas integrativas complementares usadas na odontologia, a laserterapia é mais comum do que se imagina e é utilizada em diversos tratamentos. Este procedimento que atua em muitas áreas da medicina tradicional complementar e integrativa tem como principal objetivo proporcionar ações analgésicas, anti-inflamatórias e biomoduladoras.

Através de um feixe de luz de terapia por fotobiomodulação, o tratamento complementar integrativo é um procedimento não invasivo, sem dor alguma e sem efeitos colaterais conhecidos. Realizado em sessões, a luz laser age nas doenças bucais, na cicatrização e regeneração de tecidos, por meio de ondas eletromagnéticas que ao entrar em contato com os tecidos age bioestimulando as células.
“Usamos essa terapia complementar e integrativa em quase todos os principais tratamentos, como clareamentos, dor de dentes, sensibilidade dentária, dores de ATM, herpes, aftas, mucosites, entre outras doenças orais. Essa Prática Integrativa faz parte de uma nova transformação na área odontológica e este olhar integrado têm trazido resultados muito satisfatórios, tanto para o paciente quanto para o profissional da saúde” comenta Rosely Cordon, professora e pesquisadora no projeto Mapas de Evidências Clínica de Saúde Integrativa BIREME/OPAS/OMS.
Desta forma, a grande maioria dos pacientes que passou por uma extração dentária, efeitos orais de quimioterapias, inflamações ou até mesmo um simples clareamento, já utilizou este procedimento, principalmente no tratamento de dores na região bucal, mialgias, recuperação e cicatrização. “O laser estimula a vascularização local agindo e inibindo dores em geral com ação analgésica”, explica Cordon.
Assim como na Medicina Integrativa, a Odontologia Integrativa também propõe uma parceria do profissional da saúde com seu paciente - considerado o ator principal no processo - sendo ele o seu próprio agente de saúde e atuando nas decisões junto com a equipe que está envolvida no caso.
“A saúde, conforme a definição da OMS, é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de afecções ou doenças. Por isso é preciso levar em consideração os olhares integrativos em saúde que as Medicinas Tradicionais Complementares e Integrativas – MTCI, podem aportar para o fortalecimento da saúde por meio das PIC’s, que buscam ativar os mecanismos naturais de prevenção e recuperação”, explica Cordon.

Segundo a especialista, o dentista que exerce a Odontologia Integrativa enxerga a boca do paciente como um ambiente que influencia toda a saúde do indivíduo e que também pode sofrer reflexos de problemas nas outras partes do corpo que podem ser refletidos na cavidade oral. “Com isso é possível entender que a boca vai muito além dos dentes, língua e gengiva, e que um desequilíbrio pode causar consequências em todo organismo e vice versa”, finaliza Cordon.

Rosely Cordon, Cirurgiã Dentista é pós-graduada em Bases da Medicina Integrativa pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, pesquisadora de conteúdo para Vitrine de Conhecimento "Contribuição das Medicinais Tradicionais, Complementares e Integrativas- MTCI no contexto da Pandemia de COVID- 19" e Mapas de Evidências Clinicas BVS MTCI Americas. Rede MTCI das Américas, Consórcio Academico Brasileiro de Saúde Integrativa, BIREME , 2020; lider da comissão técnica do “Projeto e Portal Todos pela Odontologia”, e colaboradora do projeto “Sorrir Muda Tudo”. Canes Quality Treinamento Vivenciais (canesquality.com.br)

E-mail: rcordon@usp.br / WhatsApp: 11-97150-5609







Máxima Assessoria de Imprensa

Nina Branco

Mais Publicações