• Faz parte da tradição decorar as casas com motivos natalinos um tempo antes da Noite de Natal. O ritual ajuda a acender a chama do espírito natalino nos corações. Um espírito de alegria, esperança, renovação. É tempo de dar e receber abraços, presentes, amigos e familiares. É tempo de esperar o novo ano chegar – e, com ele, novos planos, novas metas, novas expectativas. Em Gramado, as vitrines transbordam de opções para a decoração de Natal. Seja grande ou pequeno o seu espaço, certamente aqui você vai encontrar uma peça que caiba direitinho em sua casa.

  • Flocos e bonecos de neve sempre estão presentes nos temas natalinos. É que a tradição é européia. Na Alemanha, as famílias decoravam árvores com papel colorido, frutas e doces. O costume se espalhou pela Europa e foi trazido até a América pelos colonizadores alemães. Por isso, a árvore de Natal imita o formato do pinheiro alemão.

  • Outras versões indicam que a tradição é ainda mais antiga – seria até mesmo anterior ao cristianismo, que veio a sacramentar o Natal como a festa religiosa em comemoração ao nascimento de Jesus. Os egípcios colocavam galhos verdes de palmeiras dentro de suas casas para celebrar o solstício de inverno – o dia mais curto do ano. A palmeira verde simbolizava o triunfo da vida sobre a morte. A cristandade deu o mesmo sentido à tradição de decorar a árvore, que representa a vida: a esperança de uma vida nova, personificada no Menino Jesus.

    Acontece que, seja pelo motivo que for, celebrar o Natal em torno de uma árvore decorada é uma constante em qualquer residência e não é exclusividade de uma religião específica. Cada enfeite dependurado nos galhos carrega em si os votos de quem ali o colocou. Em Gramado, como em Nova Petrópolis, você encontra uma loja que importa peças da Europa, continente que originou grande parte das tradições natalinas que conhecemos.

  • Da Alemanha, vêm as pirâmides natalinas. Elas imitam o formato de cone do próprio pinheiro, mas não são naturais. Elas são esculpidas de modo a contar uma história. Com encaixes giratórios e espaços para velas nas extremidades, o calor do fogo que acende as velas faz os encaixes rodarem, passando as cenas natalinas. Um modelo de pirâmide trazido da Suécia usa o mesmo princípio para fazer o sino tocar.

  • Outro sucesso são as bolas de Natal. Presépios esculpidos em gesso, envoltos por uma redoma de vidro, com neve no interior. Alguns modelos tocam um tema natalino ao cair da neve. Além de decorar sua casa, uma peça dessas pode servir como opção de presente.

    Outro mimo é a caixa de música com cena animada. Uma caixinha delicada, com uma cena de Natal em miniaturas. Quando você abre a caixa, começa o tema natalino e a dança dos personagens encenados.

  • Até os guardanapos para a ceia você pode comprar lá. O resto do enxoval, você complementa em um artesanato. Tem panos de prato, trilhos de mesa, porcelanas e até avental de Mamãe Noel. Para os presentes, caixinhas e sacolas decoradas. Para os ambientes, as tradicionais guirlandas.

  • Bem, esse aí é encontrado em suas mais diversas variações: tem Papai Noel andando de moto, skate, cavalo e trenó. Tem Papai Noel que canta, toca, que se pendura na corda, que carrega o saco de presentes. São pequenos, médios ou grandes. De cores mais vivas ou menos vibrantes.

    O Papai Noel foi inspirado no bispo Nicolau, que viveu na Turquia, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, os menos favorecidos financeiramente. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. A ele foram atribuídos muitos milagres, o que o levou a ser declarado santo pela Igreja Católica. A figura do velhinho de barba comprida e grisalha, que usa roupas vermelhas e anda num trenó puxado por renas ganhou força nos Estados Unidos e daí se popularizou. A criação é atribuída ao cartunista Thomas Nast, em 1881.

  • A luz é outra característica da decoração de Natal. Velas e lamparinas iluminam a grande noite. Tem luzes coloridas, em forma de estrelas, sinos ou bolas, luzes piscantes. Velas também sempre aparecem em meio a guirlandas ou na mesa da ceia. Decoradas, douradas ou vermelhas. Para os cristãos, representa o próprio Menino nascido em Belém: Jesus, a Luz, o Salvador.

  • E para relembrar esse nascimento que dividiu a história, os presépios aparecem também como símbolo natalino e motivo para decoração nesta época. Trata-se da reprodução do cenário onde Cristo teria nascido: uma manjedoura, animais, pastores, os três magos, Maria, José e o Menino Jesus.

    Há presépios de todos os tipos, tamanhos e texturas. Esculpidos em madeira ou trabalhados em gesso. Há os que misturam materiais rústicos, como madeira e barbas de pau na manjedoura, e trazem os personagens ali inseridos em porcelana. Outros modelos foram compostos com bonecos vestidos em lindas roupas de seda, em tamanhos menores ou maiores, para se adequar ao seu espaço.

    O clima do Natal é sempre contagiante. Mesmo as motivações do comércio nos servem para recobrar as energias e renovar as esperanças. Aproveite Gramado no Natal, inspire-se nas vitrines e decore sua casa. Mas decore também a sua alma, com sentimentos positivos, desejos de mais justiça e de paz, para além da prosperidade. Boas festas!