• A partir do mês de novembro Gramado fica completamente enfeitada para o Natal. Quem passeia por aqui é contagiado pela decoração caprichosa e delicada que é feita pela comunidade. E é num lugar especial chamado Vila de Natal que se pode levar para casa um pouquinho do Natal de Gramado. Lá, artesãos comercializam artigos com a temática natalina, esbanjando criatividade e talento em técnicas variadas.

  • Quem se propõe a uma caminhada sem pressa pela cidade logo percebe o cuidado com as casas e jardins, a limpeza das ruas e o capricho das vitrines de Gramado. Numa cidade em que 90% da receita é proveniente do turismo, a dedicação da população é mesmo fundamental. Quem nasce aqui ou vem depois, sabe que precisa estar em sintonia com a proposta do município, que é hoje um dos destinos mais desejados pelos turistas de todo o país.

  • Nesta época do ano, um endereço expressa muito bem o sentimento da comunidade gramadense: a Vila de Natal. Localizada na Praça das Comunicações, a vila reúne artesãos dispostos em pequenos estandes. Juntos, eles mostram toda a riqueza e diversidade do verdadeiro artesanato, aquele que é feito com dedicação e amor. Selecionamos cinco sugestões para você apreciar e... sair correndo para comprar!

  • Imagine como deve ser maravilhoso e inspirador viver num mundo feito com linhas, agulhas, botões, fitas, costuras, alfinetes e dezenas de retalhos de tecido. Pois é nesse mundo que vive uma das artesãs participantes da Vila de Natal, desde que o artesanato em patchwork virou sua profissão. Dedicada, ela não se cansa de criar combinações e produtos novos a cada dia. Para este Natal preparou almofadas, panos de prato, enfeites para árvores, toalhas e trilhos de mesa, porta bijuterias, jogo de Cinco Marias e guirlandas. Entre os produtos mais vendidos estão os móbiles com mensagens natalinas, o descanso para chá e a sacola ecológica. São ótimas sugestões para decorar e presentear com criatividade e bom gosto.

  • Tem uma família em Gramado que vive o Natal nos 365 dias do ano. Nessa casa a ordem é produzir papais noéis o ano inteiro! O casal divide essa tarefa com outros integrantes da família, que produz, em média 30 mil papais noéis e 3 mil guirlandas para cada edição da Vila de Natal.

    Para agradar os clientes, eles começaram a inventar algumas variações para o Bom Velhinho: Papai Noel de asa-delta, Papai Noel deitado na rede, Papai Noel fazendo escalada, Papai Noel de para-quedas. Hoje, todos são um sucesso de vendas. Mas a qualidade também é item fundamental nesse atelier, que aposta em produtos bem acabados e com materiais diferenciados para garantir boas vendas.

    Os papais noéis produzidos aqui levam TNT e flocos de esponja (com uma armação de ferro interna para dar mobilidade e firmeza ao boneco, que pode ficar sentado ou em várias outras posições).

  • Vem da França a palavra decoupage, que significa a arte de revestir com gravuras. Na Vila de Natal encontramos duas gramadenses que dedicam-se a produção das peças em MDF, enquanto uma outra talentosa artesã aplica técnicas variadas sobre a madeira, especialmente a proposta da decoupage, na qual a madeira é lixada e pintada com tinta acrílica ou látex. Depois a figura é colada e ganha spray ou verniz.

    Outros objetos decorativos receberam o craquelê, que é um acabamento com aspecto de rachaduras, obtido através da aplicação de um verniz base e um craquelador. Os veios são preenchidos com tinta metálica, betume ou tinta plástica. O resultado dessas técnicas dá nova roupagem a cabideiros, porta chaves, oratórios, relicários e caixas de tamanhos variados.

    Quem aposta num presente cheio de estilo pode optar pelo cabideiro. Para quem deseja apenas comprar uma lembrança de Gramado, pode adquirir a caixa de fósforo decorada.

  • É de encher os olhos o resultado do trabalho dessa artesã. Adoradas pelas crianças, as bonecas de pano reinam absolutas nesse estande. Não importa se elas cabem na palma da mão ou se são grandes o suficiente para abraçar você, o fato é que as bonecas despertam recordações da infância, com seu colorido e graciosidade.
  • Além delas, os objetos de decoração também disputam o espaço e a atenção de quem passa por ali. São pesos de porta (de bichos, bonecos de neve e Papai Noel), móbiles, almofadas e brinquedos como o Jogo da Velha e os fantoches de dedo, mais conhecidos como “dedoches”. Arte em miniatura, os pequenos fantoches ilustram o imaginário infantil e conquistam o adulto, graças a sua delicadeza.

  • Este sabor tem a cara do Natal. O pão de mel é o doce mais indicado para compor uma mesa natalina, enfeitar uma árvore ou para presentear quem você gosta. Há mais de 20 anos uma doceira de Nova Petrópolis dedica-se a produção artesanal dos biscoitos finos, seguindo de maneira fiel as receitas da própria família.

    É impossível não sentir vontade de provar, basta se aproximar do estande para sentir o cheiro doce, que lembra canela e chocolate! Pelas mãos da doceira, os autênticos biscoitos de mel decorados ganham formas e tamanhos variados. São estrelas, papais noéis, bengalas, renas, botinhas e sinos cobertos por glassê, chocolate e nozes. A árvore de Natal é uma das sugestões mais vendidas. Os biscoitos para enfeite também são alvo de compra.
  • Uma das especialidades da tradição alemã é o Zimtsterne, que significa “estrelas de castanha”. É um biscoito feito com castanha do Pará, clara e açúcar confeiteiro (não leva farinha e nem leite). Mantendo-se fiel aos sabores e aromas tipicamente alemães, esse estande apresenta o Stolen, tradicional pão de Natal com rum e frutas, feito especialmente para as comemorações natalinas. Quer saber como se faz esta delícia? Confira aqui a receita.