• Ainda nem são 8h da manhã e os fiéis já estenderam a lona com os esboços dos símbolos do catolicismo para serem decorados com a serragem que eles mesmos tingiram dias antes da festa. Cruz, peixe, barco, pomba, cálice, ou o próprio rosto de Jesus, Maria e São Pedro, padroeiro da comunidade católica de Gramado. Dezenas de figuras formam um corredor colorido no acesso até a porta da Igreja Matriz, numa extensão de quase 50m. No preparo dos tapetes de serragem, devoção e arte se misturam para a comemoração do Corpus Christi.

  • A tradição de preparar tapetes de serragem para a passagem da procissão com o Santíssimo Sacramento foi resgatada depois de quase 40 anos em Gramado. A última comemoração havia ocorrido em 1970, segundo registros da paróquia São Pedro. Somente em 2006 as atividades foram retomadas, ainda timidamente. Em 2007, com o feriado municipal novamente decretado no dia de Corpus Christi em substituição a São Pedro, o empenho dos fiéis na preparação da festa ganhou mais destaque e chamou a atenção pela beleza das formas e a vivacidade das cores.

    Em Gramado, em 2012, o feriado de Corpus Christi (07 de junho) e São Pedro em 29 de junho.

  • “Para Deus, o melhor” foi a expressão usada pelo então vigário da paróquia São Pedro de Gramado, padre Jacó André Waden, para definir o trabalho dos devotos na confecção dos tapetes no ano em que a festa – e o feriado – foram retomados na cidade. Os integrantes de movimentos e pastorais da Igreja se envolveram em todas as etapas, desde o tingimento da serragem até o preparo dos painéis.

    O trabalho começa a partir dos traços do desenhista comercial Marco Antonio Bossardi, auxiliado por Ronaldo de Oliveira. “O artista não tem fronteiras”, resume Bossardi em entrevista à GramadoSite.com. Ele não sai do pátio da igreja antes que tudo esteja concluído. Acompanha o trabalho de perto, observa as dificuldades dos fiéis e mostra como fazer. “Todos aqui se tornam um pouco artistas neste dia”, considera. Para facilitar o trabalho dos devotos, Bossardi deixa um modelo das figuras com as cores a serem utilizadas, buscando o melhor contraste no trabalho final.

  • Os tapetes são preparados durante a manhã para a procissão passar por ali à tarde. Centenas de fiéis percorrem as ruas centrais de Gramado. Quatro altares para adoração do Santíssimo Sacramento são montados ao longo do trajeto. Os devotos oram e entoam cânticos de louvor até chegarem à Igreja Matriz, onde é celebrada a missa de Corpus Christi.

  • Pessoas de todas as idades arregaçam as mangas para ajudar na montagem dos painéis coloridos. Diva Masotti, 72 anos, ainda lembra das celebrações dos idos de 1950-1960. “As pessoas enfeitavam as janelas de suas casas com as colchas e cortinas mais bonitas que tinham para recepcionar a procissão, que saía de manhã”, conta em entrevista à GramadoSite.com. “Muitas vezes, o frio era intenso e a comunidade, mesmo assim, se reunia em frente à igreja para decorar os tapetes de serragem na madrugada”, recorda.

    A pequena Márcia Rodrigues, de 10 anos, percorria todos os desenhos, ajudando a colocar uma serragem aqui e outra ali, conforme as orientações dos adultos. Perguntei se ela sabia o significado da festa. Recebi como resposta um balanço de cabeça em sinal negativo. Ela estava gostando mesmo era da “brincadeira” de fazer desenhos com serragem colorida pelo chão!

  • A festividade de Corpus Christi (do latim, significa Corpo de Cristo) foi instituída pela Igreja Católica para realçar a presença real de Cristo na Eucaristia, depois de revelações testemunhadas por Santa Juliana de Mont Cornillon, priora da Abadia de Cornillon, em Lieja, na Bélgica, no século XIII. A primeira procissão de Corpus Christi foi realizada na cidade de Colônia, na Alemanha, em 1277.

  • A tradição de preparar os tapetes com serragem colorida, borra de café, farinha, areia e alguns pequenos acessórios, como tampinhas de garrafas, flores e folhas, vem dos imigrantes açorianos que chegaram ao Brasil. Fé e beleza que deixam suas marcas também em Gramado.

  • Corpus ChristiFiéis viram artistas fazendo tapetes de serragem


    Matéria publicada em 12/05/2008

    Por Taís Seibt
    Fotos Arthur Silveira