• Quando a tarde está preguiçosa a gente sente mais vontade de tomar um café. O hábito é comum entre a maioria das pessoas, que saem à procura de um lugar para saborear esta bebida. Gramado tem endereços confirmados, com cardápios cheios de delícias à sua espera!

  • Aquelas mesinhas que dão um charme especial à calçada da praça Major Nicoletti - bem no centro de Gramado - levam a assinatura de um tradicional café da cidade. São sete anos num endereço confirmado pelos habitués freqüentadores, justamente porque tem a cara de Gramado e fica junto a praça mais antiga da cidade (Largo Cláudio Pasqual, 55).

  • Essa receita casou o café com as nozes. O Café da Praça mistura uma dose de licor de nozes, um café espresso bem forte, chantilly e nozes moídas para decorar... pura delícia!

  • Esse é um "café" para quem não gosta de café, porque leva apenas leite vaporizado, uma barra de chocolate e chantilly. A barrinha de chocolate é colocada na xícara, depois é acrescido o leite quente vaporizado e o chantilly. Com o calor e o vapor do leite, a barra de chocolate começa a derreter e mergulhar na taça (como um submarino!), revelando um sabor especialmente cremoso!

  • No final de uma das galerias do centro da cidade encontramos um cardápio bem criativo e catalogado, com opções que passeiam por muitas misturas e sabores de cafés e chocolates. O espaço tem ainda as essências aromatizadas nos sabores baunilha, amêndoas e gengibre. Elas são borrifadas na xícara, que depois recebe o café.

  • Simples, mas cheio de sabor e vigor. O Irish Coffee leva uma dose de whisky irlandês Jameson, açúcar mascavo (uma colher de chá), dois cafés espressos e chantilly como arremate.

  • O leite condensado desembarca nessa taça do Bailey´s Coffee. Depois é acrescida uma dose generosa do licor Baileys (licor de chocolate com creme de leite) e um café espresso. A cobertura é de chantilly.

    Se você gostou desse passeio pelas cafeterias de Gramado veja aqui outras opções!


  • Você conhece essa história: a pessoa chega apressada ao balcão e diz: “- Um expresso, por favor!”. Lá vai o atendente – correndo – preparar o tal café expresso. Muitas pessoas associam esse café a um pedido "que seja rápido", mas (pasmem!) o café “expresso” é na verdade um café “espresso”, que quer dizer “Especialmente Preparado Sob Sua Ordem”. Nos cursos de baristas se aprende que esta expressão também pode ser traduzida como um café “tirado sob pressão”, o que não tem nada a ver com a letrinha x! O café espresso tradicional é feito em máquina profissional, sob a pressão de nove a dez bars (ou atmosferas).