Empresários do setor ótico do Estado estão mais confiantes no cenário econômico

Economiaenegocios Notícias 18 Junho / 2018 Segunda-feira por Gramadosite

Um percentual expressivo de empresários do setor ótico do Rio Grande do Sul afirma que o comportamento da economia no decorrer deste ano está sendo um pouco melhor do que em 2017. Para 58,2% dos consultados na Sondagem de Segmentos do setor ótico, levantamento realizado pela Fecomércio-RS e divulgado nesta segunda-feira (18), a expectativa quanto ao desempenho da economia 'melhore um pouco', enquanto para 27,9% mostre-se estável e, para 7,6%, o cenário 'melhore muito'. Já quando perguntados sobre o comportamento da economia em 2017 frente a 2016, a maioria (64,5%) respondeu que se manteve estável. No que diz respeito às perspectivas das vendas nos próximos seis meses, 59,1% acreditam que suas vendas melhorarão um pouco. A pesquisa foi realizada entre os dias 08 e 25 de maio de 2018.
A sondagem, que ouviu 276 estabelecimentos no Rio Grande do Sul optantes pelo Simples Nacional – a grande maioria (63,8%) com mais de 10 anos de funcionamento - revela que para 65,2% das empresas as vendas efetuadas nos últimos seis meses foram consideradas regulares, 17,4% consideraram o desempenho ruim e 17,4% afirmaram que as vendas foram boas ou ótimas. Entre oito fatores impeditivos à expansão das vendas, a crise econômica foi a mais citada (62,3%), seguida por carga tributária (56,2%) e pirataria de produtos (47,5%). Os tributos, por sua vez, são o maior gargalo das empresas quando necessitam importar peças, uma vez que o setor é muito dependente do mercado externo: a carga tributária na importação foi apontada por 65,9% dos consultados na sondagem.
Quanto à gestão das empresas, 79,0% das empresas do segmento possuem uma contabilidade independente – ou seja - existe uma clara separação das finanças do negócio e dos donos. Também um contingente expressivo de estabelecimentos (73,9%) realiza mensalmente um diagnóstico sobre a situação financeira da empresa e 16,7%, semanalmente. A sondagem mostrou, no entanto, que 9,4% delas possuem um controle muito superficial ou nenhum controle sobre o quadro financeiro das empresas. Outro dado mostra que 97,8% traçam estratégias de ação e metade atuação com base no diagnóstico financeiro realizado. A maior parte das empresas do setor ótico está com um quadro de endividamento sob controle ou é baixo (57,6%) e, para 36,2%, não há endividamento. Situação mais preocupante em relação às dívidas foi apontada por 6,2% das empresas na sondagem. Em 61,2% das empresas, as vendas vinculadas a cartões de crédito ou débito correspondem a acima de 50,0% do faturamento.

A tecnologia é realidade para a maior parte das empresas do setor. Controle de vendas e estoques informatizados está presente em 70,7% delas – apenas 4,0% dos respondentes disseram que não utilizam sistemas para controle de vendas e estoques. As empresas renovam o mix de produtos com base nas tendências de consumo de forma continuada – realidade para 87,3% - enquanto 12,7% não o fazem com frequência. Entre os entrevistados, 88,8% acompanham continuamente o desempenho de seus produtos . A maior parte dos lojistas consultados (43,1%) está conectado nas redes sociais como forma de promover produtos e ampliar relacionamento. Já 33,0% dos consultados estão em redes sociais e possuem também lojas virtuais. Um índice expressivo de empresas (22,5%), porém, ainda não integra nenhum ambiente virtual.


A SONDAGEM DE SEGMENTO – ÓTICA PODE SER ACESSADA AQUI.


links.fecomercio-rs.org.br/ascom/SondagemOticasjun18.pdf

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes