Coluna e suas particularidades – parte 2

Para iniciarmos a conversa lembramos que a coluna vertebral, também chamada de espinha dorsal, estende-se do crânio até a pelve e é responsável por dois quintos do peso corporal total.

Composta por tecido conjuntivo e por uma série de ossos, chamados vértebras, as quais estão sobrepostas em forma de uma coluna, daí o termo coluna vertebral. Como vimos anteriormente cada estrutura esta relacionada com questões de cunho emocional que podem gerar compensações relacionadas a órgãos ou sistemas.

Seguindo nas vértebras chegamos na região relacionada com pâncreas, duodeno, ulceras e gastrites. Pessoas que se esforçam ao limite das coisas sem ouvir seu corpo, não dando o descanso necessário para relaxar ou que tenta escapar de situações ou alguém, que acumula raiva e agressão tendem a apresentar problemas na T7.

Já a T8 e T9 relacionam-se com olhar ao redor com insegurança de perder o controle de uma situação ou pessoa. Se voltar para dentro para evitar perguntas ou fazer esforços para mudar a vida. Afeta baço, glândulas adrenais e suprarrenais, diminui resistência imunológica e esta relacionada também com urticarias e alergias.

T10 relaciona-se com insegurança de estar sem recursos para determinada situação. A estima esta baixa e podemos ser mais propensos a desenvolver problemas com álcool ou drogas pelo simples fato destas substancias serem uma bengala ou alavanca para encorajar ou para esquecer as preocupações. Pequenas coisas tomam grandes proporções negativas. Afeta rins, enrijecimento das artérias, cansaço crônico, nefrites e pielites.

Anormalidades na décima primeira vértebra torácica pode indicar problemas no funcionamento do sistema nervoso. Pode ser consequência de tentar mascarar a realidade para sofrer menos e ao mesmo tempo se sentir impotente para mudar algum aspecto que incomoda. Doenças de pele como espinhas e eczemas e nos rins e ureteres estão relacionadas também com esta estrutura.

Seguindo na descendente chegamos na T12 ultima vértebra torácica que tem uma importante ligação com intestino delgado, circulação linfática, reumatismo, gases e certos tipos de esterilidade. Muito forte a ligação desta estrutura com a raiva produzida pelas criticas e julgamentos de coisas que pensamos ser corretas na nossa ótica nos tornando seres invejosos, inflexíveis e incapazes de ver, sentir ou perceber outras formas de pensar.

As dores no meio das costas podem ser então facilmente notadas em pessoas que tem relação difícil da vida ou situações da vida.

Partindo para uma analise da região lombar chegamos na L1 estrutura essa relacionada com o intestino grosso, constipação, colites, disenterias e algumas rupturas de hérnias. Situações de impotência com alguém ou algo que não combina com o indivíduo e este não pode mudar a situação se obrigando a suportar se tornando um ser inerte, se desgastando com pequenas coisas ou que quer controlar tudo tem grande chance de prejudicar a L1.

Ser prisioneiro das emoções sem saber como vive-las ou expressa-las, se colocar na posição de vitima e não se esforçar para melhorar as situacões da vida. Somando a estes fatores temos os sintomas como apendicite, colias, problemas no abdome e parte superior das pernas, dificuldades de respirar e varicoses temos um provavel problema em L2.

Já quando percebemos problemas nos orgãos sexuais,mestruação com dores ou periodos irregulares, abortos,urinar na cama, impotencia, menopausa, útero, bexiga e joelho provavelmente nosso foco será a L3. Normalmente pessoas que apresentam dificuldades familiares e se colocam sempre como o “bonzinho” não contrariando os outros mas se anulando quanto a seus pensamentos podem comprometer esta estrutura.

A quarta vértebra lombar afetada se caracteriza por uma dificuldade de enfrentar a relidade do dia-a-dia. Sofrer com acontecimentos do cotidiano e criar uma situação paralela ou imaginária para não sentir o amargo da situação e viver na passividade. Muito comum nestes casos desenvolver problemas na próstata, musculos inferiores das costas e nervo ciático, lombalgias, ciatalgias, dificuldade, dor ou urinar muito frequente.

A ultima vertebra lombar afeta a parte inferior das pernas, tornozelos e pés, problemas circulatórios nas pernas, tornozelos fracos, pés gelados, fraquesa e caimbras nas penas. Pessoas com dificuldades no campo emocional de serem autênticos que sentem insegurança ou dificuldades de se expressar, que vivem de luxurias e não cultivam relacionamentos podem ter problemas na L5.

Na região sacral destacamos a rigidez de pensamentos sem ouvir a opinião dos outros, ter o controle das situações e caso não tenha, a pessoa se sente irritada o que influencia negativamente em relacionamentos amorosos. A comunicação vebal e sexual é inexistente o que resulta em frustrações e sentimentos de nadar contra maré. Na região de S4 e S5 temos os desejos enraizados e se os gerenciarmos bem esta estrutura funcionará de forma armoniosa, caso contrario teremos problemas com nossas responsabilidades devido ao estado passivo e preguiçoso que nos colocamos impedindo de ir em frente. Problemas como infertilidade, herpes, frigidez, rins, incontinência urinária, diarreias, constipação ou até colites podem estar diretamente relacionados com o sacro.

E por fim e não menos importante chegamos ao cóccix base da sexualidade, o desempenho adequado das necessidades básicas (sexo, comida, abrigo, amor). Quando o cóccix é afetado, o indivíduo pode viver o medo de perder ou não ter, pelo menos, um amor semelhante de uma mãe por um filho. A insegurança que se manifesta em relação às minhas necessidades básicas de sobrevivência, incluindo ter um teto, alimentação, vestuário, etc, ficam expostas. Distúrbios físicos como hemorróidas, irritações no anus, problemas de bexiga ou próstata e também encontrar dor na base da coluna, um ganho ou perda de peso significativa (a obesidade, a anorexia) e má circulação sanguínea ao nível dos pés (flebite) e mãos.

Referências :

barcelonaalternativa.es/vertebras-mapa/

www.chiroone.net/interactive-spine

Publicações recentes