Décio Baptista Pizzato

Economista (Registro CoREcon nº 3861-4ª Região), Pós-graduado em Administração Pública, ênfase municipal. Atuação no mercado de capitais como gestor de fundos de investimentos, gerente e diretor de empresas financeiras e de previdência privada.
Ex- diretor e conselheiro da Associação Brasileira dos Analistas do Mercado de Capitais (RS). Analista de economia contemporânea, brasileira e internacional.
Articulista de opinião desde 1995, com artigos publicados sobre mercado de capitais e economia, nos jornais Gazeta Mercantil, Jornal do Comércio, revistas e jornais de empresas. Mantive comentário semanal de economia por 2 anos na Rádio Guaíba (POA).
Meus artigos são reproduzidos em sites, de editora e escritórios especializados. Fiz palestras de abertura de curso de pós-graduação, de semana acadêmica, de aula multidisciplinar, no Centro Universitário Feevale, Universidade de Caxias do Sul, Unisinos e UFRGS. Fonte de referência e orientação para jornalistas da área econômica e dissertações de formandos, sendo constantemente citado em colunas, matérias impressas e programas de rádio.
Autor da análise sobre o atual governo (período janeiro de 2003 a abril de 2005) que tem o título de “Nada além de uma ilusão”.



Informações de contato
GERACÃO DE ENERGIA SOLAR

Aos poucos está se podendo vislumbrar o retorno gradual das atividades econômicas no país. As empresas sofreram um baque inimaginável pelo fechamento das suas atividades e que obrigou a tomarem medidas sérias inclusive com dispensas de seus funcionários e a redução dos valores pagos nos salários.

Gigantes

Em um dos seus mais argutos artigos que leva o título “Quem perde com a saída de Salim Mattar do governo é o cidadão brasileiro”, o jornalista José Roberto Guzzo toca no ponto crucial porque continuam se perpetuando estatais brasileiras. Escreve assim:

O pavão e o espanador

Como não bastassem os éditos draconianos do alcaide desta Leal e Valorosa Cidade de Porto Alegre vem agora a justiça mandar fechar os estabelecimentos comerciais.

O novo normal

Estamos vivendo tempos de Pandemia, onde os condutores no combate a mesma estão totalmente confusos, emaranhados.

Números

Este é um artigo que muito pouco trato de Economia, mas sim de um patrimônio muito maior, a Vida.

Veja todas as publicações