As Colônias Rurais criadas nos estados do sul do Brasil

Analisando um anúncio de venda de terras em 1931. Palmitos e São Carlos.

Tradução do anúncio: "Vosso dinheiro não podem aplicar em nenhum lugar senão comprar terras. Lógico, isto deve ser terra boa e estar numa região onde continuamente se valoriza. Nós temos terras assim. Nossas Colônias PALMITOS (para protestantes) e SÃO CARLOS (para católicos) oferecem as melhores aplicações de capital, e o futuro mais garantido para vossos filhos. Providenciamos exemplarmente para o progresso através da construção de melhores estradas e pontes, com apoio de Igrejas e Escolas, e com a introdução de melhores sementes (tabaco etc.) . Por isso o desenvolvimento e crescimento de nossas colônias é contínuo e certo.

A melhor prova da maior confiança, que a Companhia possui, é que o Governo Imperial Alemão nos garantiu 1.400 alemães russos dos quais a maior parte já chegou e está assentada em nossas colônias. O que a chegada de um tão grande número de assentados significa para as nossas colônias, todos sabem por si só.

Colocação da produção. Mesmo que a via férrea de Passo Fundo para Irahy, em cuja breve construção não se duvida nem um pouco, e que poderia ser protelada, seria, então, fundada a Cooperativa Sociedade de Transportes que, em caminhões com reboques levariam os produtos para a Estação Santa Bárbara.

Deem uma olhada em nossa terra - e comprarão!
Nossos caminhões partem de Santa Bárbara todas as terças feiras.
Administração: Passarinhos ( de fronte Irahy - Aguas do Mel )
Peçam nossos prospectos !"

COMENTÁRIO DO TRADUTOR.

Empresas de colonização existem desde os primeiros anos das grandes imigrações. Acentuou-se nos anos de 1900 quando a população já havia aumentado muito. Nos meus comentários escrevi sobre a colonização de Serro Azul - Cerro Largo, em 1902, e Porto Novo - Itapiranga, em 1926. Nos diversos almanaques católicos, protestantes e independentes, como de Karl von Koseritz, desde antes de1900, há anúncios de venda de terras para agricultores. Era o povo brasileiro, seus agricultores, construindo um Brasil desenvolvido. Nos Estados sulinos acontecia o que ainda hoje acontece no oeste e noroeste. Hoje vemos este "progresso..." como uma devastação das florestas nativas; há 100 anos também havia pessoas esclarecidas que se preocupavam muito com o desmatamento excessivo para transformar em lavouras. No primeiro grande congresso de agricultores, o "Katholikentag",
realizado em Harmonia-RS., em 1898, foi dada uma palestra sobre este tema: "Zur Waldfrage", a questão florestal. Na foto menor está um detalhe da palestra, original em alemão, idioma corrente naquela época. A tradução da recomendação: "A assembleia geral convoca os agricultores das colônias alemãs para entrarem na associação livre de silvicultura, já existente em algumas picadas, para dar um basta na inconsequente desertificação das florestas, e então começar em comum, um reflorestamento com madeiras nobres, em picadas pobres em madeira".
Últimas