Maioridade da Faixa

Economiaenegocios Artigos 14 Abril / 2018 Sabado por Senador Cristovam Buarque

O Distrito Federal foi pioneiro na implantação da campanha para o cumprimento da obrigatoriedade de veículos pararem na faixa de pedestres. Faz 21 anos que aqui no DF respeitamos a faixa. Os pedestres estendem a mão, fazendo um sinal, e os motoristas param.

O “milagre de Brasília”, como os visitantes costumam se referir ao hábito dos brasilienses de respeitar a faixa de pedestre, decorre da inversão da lógica com que o Governo do DF, entre 1995-1998, administrou a implantação do programa Paz no Trânsito.

Em vez de ver a faixa como assunto da engenharia e das leis, o problema foi tratado, pelo então governo, como uma questão de educação. A engenharia (pintura, sinalização, escolha dos locais) e a legislação (leis e decretos) foram complementos auxiliares.

Essa não foi a única inversão lógica no governo local, entre os anos de 95 e 98. A implantação do PAS (Programa de Avaliação Seriada), cuja ideia foi do professor Lauro Morhy, é outra prova dessa inversão. Em vez de fazer o vestibular para eliminar alunos que não aprenderam o básico no Ensino Médio, o então governo do DF, em cooperação com a UnB, preferiu usar a universidade para incentivar alunos a aprenderem o máximo, estudando ao longo dos três anos, e não mais apenas no último ano.

A própria Bolsa Escola, também criada pelo então governo do DF, de tanto êxito, espalhou-se pelo Brasil e pelo mundo, fazendo Brasília ser reconhecida como o berço dos programas de Transferência de Renda Condicionada à Educação. E tornou-se outro exemplo de inversão da lógica.

No lugar de deixar as crianças pobres trabalhando e fora da escola, nosso programa utilizou o potencial das mães para garantir que os filhos frequentassem as aulas. Assegurou renda básica à família e, ao mesmo tempo, educação para as crianças.

A faixa de pedestre foi um bem-sucedido projeto da lógica invertida criado pelo governo da época, mas apenas um deles; muitos outros até hoje continuam, 21 anos depois.










Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes