A Cornucópia do Milagre

Economiaenegocios Artigos 21 Dezembro / 2017 Quinta-feira por Décio Baptista Pizzato

A Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Fazenda divulgou neste dia 20 de dezembro a posição da Dívida Pública Federal, incluindo o endividamento interno e externo do Brasil. Houve um aumento de R$ 55 bilhões em novembro sobre o mês de outubro, atingindo o montante de R$ 3,493 trilhões.
Está assim dividida, Dívida Publica Mobiliária Federal interna (DPMFi) é de R$ 3,371 trilhões. Esta é a dívida que pode ser paga em reais. Já a Dívida Pública Mobiliária Federal externa (DPMFe), é a captação feita no mercado internacional, atingiu R$ 121,4 bilhões, equivalentes na data em US$ 37,22 bilhões.

O Plano Anual de Financiamento da dívida pública prevê para o ano de 2017 que a esta se situe entre R$ 3,45 trilhões e R$ 3,65 trilhões. O montante de novembro já ultrapassou o piso estimado.

Os detentores desta dívida são os fundos de Previdência (25,37%)., seguidos pelas instituições financeiras, com 21,84%, os fundos de investimentos (25,96%), os investidores estrangeiros (12,67%), o governo (4,60%), seguradoras (4,02%) e outros (5,54%). O interessante é o Tesouro Nacional informar ser de 13,95% a rentabilidade dos títulos no mês de novembro, quando a Taxa Selic estava fixada em 7,5%. Diferença jamais repassada para os investidores comuns.

A Dívida Pública Mobiliaria Federal divulgada para o mês de novembro foi de R$ 3,493 trilhões e ser for feita uma conversão cambial com a cotação de R$ 3,296 por US$ 1, teremos que essa dívida atingiu o montante de US$ 1, 060 trilhões. É muito dinheiro mesmo para economias mais fortes.

Para que tudo fique claro, vamos voltar no tempo. No dia da posse de seu primeiro mandato, Lula assume com a dívida pública em R$ 623,19 bilhões. Ao passar a faixa presidencial para sua ungida, Dilma Rousseff em 1º.01.2011, a dívida já estava em R$ 1.694,03 bilhões, um crescimento em oito anos de 171,8%.

O atual presidente assumiu a presidência da República em 31 de agosto de 2016, com o impeachment de Dilma Roussef.

Vamos ver como se chegou a esses trilhões da dívida:

GOVERNO LULA

POPULAÇÃO 2010: 190.732.694
POPULAÇÃO 2002: 176.029.560
DIVIDA PÚBLICA de 2010: R$ 1.694,03 bilhões
DIVIDA PÚBLICA de 2002: R$ 623,19 bilhões
RELAÇÃO DÍVIDA/HABITANTE 2010: R$ 8.881,69
RELAÇÃO DÍVIDA/HABITANTE 2002: R$ 3.540,26
VARIAÇÃO DÍVIDA 2010/2002: + 171,83%
VARIAÇÃO DIVIDA PER CAPITA 2010/2002: +150,87%


GOVERNO DILMA

DÍVIDA PÚBLICA 2010: R$ 1.694,03 bilhões
DÍVIDA PÚBLICA (AGOSTO) 2016 : R$ 2.955,19 bilhões
POPULAÇÃO EM 2016: 209 531 635
VARIAÇÃO DÍVIDA 2016/2010 : 74,44%
DIVIDA PER CAPITA 2016 (AGOSTO) : R$ 14.103,78
VARIAÇÃO 2016 (AGOSTO) / 2002 : + 298,38%

Atualizando os números

DÍVIDA PÚBLICA (NOVEMBRO) : R$ 3,493 trilhões
VARIAÇÃO DÍVIDA 2017( NOVEMBRO) / 2016 (AGOSTO): 18,19%
DÍVIDA PER CAPITA 2017 (NOVEMBRO) : RS$ 16.817,52
A dívida pública cresce de 31/12/2002 para 30/11/2017 mais R$ 2,869 trilhões. Apenas no mandatos de Lula e Dilma cresceu R$ 2,332 trilhões
Fica pois bem claro que o milagre econômico dos governos no período 2003 até agosto de 2016 foi alimentado pela cornucópia do endividamento público.

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes